quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

rascunho


Hoje, como em alguns dias, agradeci aos benditos que me ensinaram a escrever, aler e a escutar músicas boas.
Faz parte da minha rotina não ter rotina para o que escrever, para o que ler e escutar quando no meu tempo "livre". Por esse motivo, nos momentos em que preciso desabafar vou lá no meu - e da minha amiga - espaço virtual de nome blog e relato ou conto o que me vem a mente.
Não sei se vocês, mas eu ouvi dizer que nossa mente e seus pensamentos trabalham mais rápido que o corpo. Acho que isso explica os meus textos sem sentido, pois só escrevo (sem preocupações com gramática, com o que os outros vão entender, se entenderem)! Inclusive já aconteceu comigo de não saber o que tinha escrito anteriormente em algum texto.
Provavelmente essas escrituras de desabafo só servem para aquele momento. E por falar nessa serventia, posso afirmar que ela é extremamente positiva.
Muitos, entre todos os sentimentos, são ótimos, mas no geral nos deixam encurralados para tocar no assunto. Chegando ao ponto, os assuntos do coração costumam ser íntimos o bastante para não existirem facilidades de serem comentados ou discutidos com qualquer pessoa. Então, ou se escolhe alguém de confiança naquele momento para conversar ou escreva!
Dessa data presente, ganhei nobre gratidão e enfim escrevi aqui como falei durante o texto.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011


longe, lá de longe de onde toda a beleza do mundo se esconde, mande para ontem uma voz que se espanda e suspenda esse instante.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

favoritos

meus favoritos no msn denunciam minhas paixões! hahahaha
eu rio depois que elas passam e só restam as amizades e seus rastros no meu favoritos!
=D

little shit!


aaahh nãaao!

as vezes a gente coloca por alguns instantes na cabeça que o mundo foi chato com você!
aargh..

little shit!


aaahh nãaao!

as vezes a gente coloca por alguns instantes na cabeça que o mundo foi chato com você!
aargh..
Já notaram que um ponto de interrogação é um coração pela metade?

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

pra você, uma flor.

durante um dia cheio de preocupações e estresses como os que costumamos ter, um fato se apresentou e tornou esse dia mais que comum, espetacular!
meus olhos brilharam quando o vi.
estava passando por aquela avenida cheia de carros e parei no sinal. Logo vieram pedintes com seu vários espetáculos para ganhar seu vintém, mas um deles foi destaque.
Com suas pernas de pau surradas e seu paletó de palhaço, seu nariz exagerado e vermelho!
sorri
eu e ele
sorrimos
as vezes não enxergo seus olhos, pois os raios de sol invadem o dia, ele também tá feliz!
Baixo e vidro e ele com sua leveza fingiu uma mágica e me entregou uma flor.


quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

moleskine


senti-me em Brasília...
Aqui em Fortaleza passou o dia chovendo e eu acordei as 9:00 pensando que ainda eram 4:30 da madrugada!!! Trovões de dia, dia cinzento, cinza de cigarro pra fumar enquanto penso em andar por aí perambolando nas ruas sem estar bêbado. Só por perambolar.
Penso:
Olhar as pessoas com tantos mistérios por baixo de tantas roupas, por tantas capas.
Passo pelo rio e logo depois vejo a torre de Paris, não me interesso e sigo.
Paro de pensar, volto pra Fortaleza:
A cor desse diz me deixou sem saber o que fazer, como se a minha caixa de quereres estivesse também nessa neblina cinza sem me deixar escolher, nem mesmo enxergar alguma coisa.
Aí eu vejo uma rosa e me dá vontade de escrever e inventar o meu mistério pra que as pessoas que passem me vejam misterioso...
Viva o moleskine.!

[e viva os blogs! onde podemos escrever coisas sem sentindo!!! espero que alguém capte alguma ideia do que se apresenta nesse texto.. rsrs]

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

gente grande




acho que de tanto querer pensar, querer ser e querer agir como gente grande, tô adquirindo más características de um comum gente grande.
tô explodindo!
trazendo pr'um patamar mais real: com tantas coisas na cabeça e com tanta vontade de gritar, chorei. Quis não fazer nada a não ser deitar na minha redinha e ficar lá...

quantas preocupações.
meu deus?!
tem que ser assim?
...
espero que depois disso eu aprenda alguma coisa como dizem nas frases colocadas no orkut, como eu acredito que vá acontecer - aprenderei alguma coisa.
só pode.
então, meu deus, dai-me força e dai-me luz pra continuar aprendendo, pra continuar cantado e inventando mil caretas pra me fazer rir na frente de um espelho companheiro depois de um episódio desses. Por um momento resgatar minha criança. =PP
- Sabe a garota do copo de água?
- Sei.
- Se parece distante, talvez seja porque está pensando em alguém.
- Em alguém do quadro?
- Não, um garoto com quem cruzou em algum lugar, e sentiu que eram parecidos.
- Em outros termos, prefere imaginar uma relação com alguém ausente que criar laços com os que estão presentes.
- Ao contrário, talvez tente arrumar a bagunça da vida dos outros.
- E ela? E a bagunça na vida dela? Quem vai pôr ordem?

(O Fabuloso Destino de Amélie Poulain)

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

“Eu não sou legal, não mesmo. Acho que sempre tenho razão e quando minhas previsões dão certo olho com a cara mais abominável do mundo, dou um sorriso irônico e falo o clássico eu-te-avisei. Essa é a primeira –e mais importante – coisa que você precisa aprender a meu respeito. (…) Não sei receber elogios, fico sem saber o que fazer, me atrapalho e acabo trocando de assunto – quando não troco as pernas e tropeço em algum canto de mim. Sorrio para disfarçar desconfortos. Se eu não gosto de você é bem provável que você tenha medo do meu olhar. E eu posso simplesmente não gostar de você de graça. Se eu gostar de você aviso de antemão que você é uma pessoa de sorte. Eu me entrego. Quem vive comigo sabe. Quem convive comigo sente. Eu amo poucos. Mas esses poucos, pode apostar, amo muito.”
— Clarissa Corrêa

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

“Eu sou uma eterna apaixonada por palavras. Música. E pessoas inteiras. Não me importa seu sobrenome, onde você nasceu, quanto carrega no bolso. Pessoas vazias são chatas e me dão sono. Gosto de quem mete a cara, arrisca o verso, desafia a vida… Eu sou criança. E vou crescer assim. Gosto de abraçar apertado, sentir alegria inteira, inventar mundos, inventar amores. O simples me faz rir, o complicado me aborrece.”