quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011


Se alguém perguntar por mim, diz que fui por aí, levando um violão debaixo do braço. Em qualquer esquina, eu paro em qualquer botequim, eu entro e se houver motivo é mais um samba que faço. Se quiserem saber se eu volto diga que sim, mas só depois que a saudade se afastar de mim.
Eu tenho um violão pra me acompanhar, tenho muitos amigos eu sou popular, tenho uma madrugada como companheira. A Saudade me dó o meu peito me rói, eu estou na cidade, eu estou na favela, eu estou por aí sempre pensando nela. (Luiz Melodia)

Nenhum comentário:

Postar um comentário