terça-feira, 2 de junho de 2015

.agora um poema


nunca cometo o mesmo erro
duas vezes
já cometo duas três
quatro cinco seis
até esse erro aprender
que só o erro tem vez



Leminski

Nenhum comentário:

Postar um comentário