segunda-feira, 19 de julho de 2010

partes do filme

Como é que ela sabia que o monstro era o galã?
Não sabia, mas ela percebeu que o coração dele era bom pelos olhos dele.
Quando?
Quando ela gritou. Aí apareceu os olhos dele com medo. E aí apareceu os olhos dela já com menos medo. Aí apareceu os olhos dele bem de perto, agora tristes. Aí apareceu os olhos dela tristes também. Aí ele baixou os olhos e a música ficou triste.. e ela sorriu e a música ficou mais alegre. Ela passou a mão no rosto dele, ele ergueu os olhos. Ela riu, aai. Aí tocou a música romântica e ela entendeu que podia beijar o monstro.



Quando a gente ama uma pessoa o que a gente mais quer?
Ficar bem juntinho.
Pronto! Tão juntinho, tão juntinho que como diz o poeta:
Transforma-se o amador na coisa amada
Por virtude do muito imaginar
Não tenho, logo, mais que desejar
Pois já tenho em mim a parte desejada.



Você não tem inimigos?
Tenho, as eu quero todos vivos. Em homem deve ter inimigos. Por que houvera de querer matá-los? Se fosse assim eu também matava a morte, a covardia, delegado safado, a velhice, a doença. Deixe meus inimigos vivos, viu? Não bula com eles, não.



Eu passei a noite tentando decidir o meu destino e eu sabia que ele já estava traçado. Era como sacudir uma moeda pra cima e ver ela caindo sempre do mesmo lado. Como apostar numa roleta viciada que toda vez para no mesmo número. Como um baralho marcado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário